Moda

Sebrae e Senai levam tendências da moda inverno de 2016


O 3° ciclo de palestras e oficinas, para apresentação do Caderno Inova Moda “Caminhos – Inverno 2016”, iniciou na última terça-feira, dia 5, e segue até a esta semana, em Francisco Beltrão, levando para empresários que atuam no segmento do vestuário, moda e design, as tendências do Inverno 2016 em conceitos, cores, tecidos e modelagem. O cronograma envolve palestra e quatro oficinas técnicas.

Realizado por meio do convênio nacional entre o Sebrae e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), o circuito promove a incorporação da criatividade e inovação nas pequenas empresas, tornando-as mais competitivas. O evento conta com apoio do Sindicato das Indústrias do Vestuário do Sudoeste do Paraná (Sinvespar).

A consultora do Sebrae/PR, Jocelei Fiorentin, conta que o Caderno Inova Moda “Caminhos – Inverno 2016” é dividido em duas publicações, uma voltada aos processos criativos e outra com foco em tecnologia, ambas com informações diferenciadas para que as pequenas empresas do setor do vestuário enfrentem a concorrência na dinâmica indústria da moda.

“Empresas ligadas à moda precisam se antecipar, conhecer e entender as tendências de comportamento para as próximas estações, desta forma, poderão elaborar coleções que despertem o desejo dos consumidores.  Se antecipando, elas conseguem agregar valor e se tornar mais competitivas no mercado”, comenta Jocelei Fiorentin.

Para Marta Tesser, gerente da Unidade do Sesi/Senai/IEL de Francisco Beltrão e Ampére, o evento fortalece e amplia a competitividade do setor. “O caderno, a palestra e os laboratórios fornecem informações para fortalecer as empresas da região sudoeste do Paraná, enquanto desenvolvimento, produto e moda”, avalia Marta Tesser.

A consultora técnica do Senai/Cetiq do Rio de Janeiro, Angélica Coelho Lima, que conduz o ciclo de palestra e oficinas do Caderno Inova Moda “Caminhos – Inverno 2016” na região, comenta que a proposta é inovar a fase de início e programação de coleções.

“A proposta é de inovar na empresa, dentro da expertise de cada um, o que vem alinhado a uma ampla pesquisa de comportamento e consumo, bem como as principais tendências internacionais. O material dispõe o que está acontecendo no mundo, contudo, voltando o olhar para a moda brasileira”, detalha a técnica.

Angélica destaca que os cadernos trazem conteúdos mais práticos, com um novo olhar sobre comércio, produto e interação com o consumidor.  “No caderno tecnologia, por exemplo, temos modelagens diferenciadas para um novo nicho, de gênero neutro, quase um unissex revisitado de um tempo atrás. Também trazemos modelagens para pet e começamos a trazer uma introdução para outros materiais como couro, calçados, gemas e joias”, ilustra.

De forma prática, Angélica avalia como positivo os resultados obtidos na região sudoeste, desde a realização do primeiro evento Inova Moda.  “A gente percebe empresas com material de divulgação mais assertivo para o consumidor, um produto mais autoral e, por fim, mais próximas das entidades que encabeçam esse trabalho, o que é importante para o fortalecimento do setor”, conclui.

Referência

O material apresenta informações sobre design, inovação, comportamento e consumo, o que auxilia na hora de montar as coleções. A designer Ana Lígia Krauspenhar, da empresa Kenusa, de Francisco Beltrão, comenta que participa desde a primeira edição do ciclo do Inova Moda e as informações ajudam na elaboração de coleções.

“Mesmo participando de eventos fora para acompanhar o mercado e tendências, é importante que esse ciclo seja realizado aqui na região. Essas últimas edições provocam a despertar a criatividade. Não tem nada pronto, mas ajudam a pensar e desenvolver uma coleção bem personalizada”, completa Ana Lígia.

A designer de moda Laudiana Camozzato, da empresa Redu, de Pato Branco, conta que vem utilizando o caderno como parte do estudo de concepção das coleções, desde a primeira edição. “As informações ajudam contextualizando as tendências globais para coleção. Assim, podemos contemplar tendências, inovando e valorizando também os nossos produtos e clientes”, considera.

Francisco Beltrão foi a primeira cidade do Estado a receber com o circuito completo em 2015. Após a palestra, as empresas iniciaram a participação em oficinas técnicas, realizadas na sede do Sinvespar. As oficinas complementam de forma prática o conteúdo da edição do caderno, com atividades temáticas como Laboratório de Criativação, Desenvolvimento de Produto, Olhar da Forma  e Elaboração de Fichas Técnicas.

Autor: Redação Ferreguion

Tecnologia do Blogger.